Saiba mais sobre intolerância à lactose e administre melhor sua dieta

Intolerância à Lactose é o termo utilizado para pessoas que não conseguem digerir produtos lácteos (leite e seus derivados). Esta impossibilidade de digestão geralmente ocorre em pessoas que não produzem a enzima lactase ou produzem-na em quantidade insuficiente para realizar a digestão da lactose. A maioria das populações têm uma perda progressiva da capacidade de absorção da lactose que inicia-se após os primeiros anos de vida.

Em primeiro lugar é muito importante ressaltar que existem níveis de intolerância, pois a quantidade de enzima lactase produzida pelo corpo varia de pessoa para pessoa. Algumas pessoas possuem uma deficiência mínima na produção da enzima, ao passo que outras não a produzem. Isto irá afetar o seu nível de intolerância.

Embora, muitas vezes, sejam usados como sinônimos é importante estabelecer diferença entre a intolerância, a alergia e a sensibilidade, pois suas consequências são bem diferentes, indo desde um mal estar até um caso mais grave. A alergia é uma resposta imunológica do organismo a algum componente alimentar.

A intolerância é uma reação adversa que envolve digestão, absorção e metabolismo de algum componente do alimento. Os sintomas de intolerância à lactose surgem quando a quantidade de lactose que chega ao intestino é superior a capacidade intestinal de quebrá-la.

Os sintomas e sinais da intolerância à lactose são semelhantes a qualquer outra deficiência especifica. A criança que não metaboliza a lactose terá diarréia e poderá não ganhar peso. O adulto apresentará distensão na região da barriga, gases, náuseas, diarréia e cólicas abdominais. Mesmo quando somente a absorção de lactose está diretamente prejudicada pela deficiência da lactase, a diarréia resultante pode ser intensa, o suficiente para eliminar os outros nutrientes.

Opções de tratamento para intolerância à lactose e seus possíveis efeitos

Evitar produtos lácteos raramente é necessário, porque a maioria das pessoas intolerantes à lactose são capazes de consumir pelo menos algumas gramas de lactose por dia, aproximadamente 10g. Além disso, os queijos maturados são muito bem tolerados, mesmo em quantidades maiores pois não contêm lactose. Estes que são produzidos pela Santa Clara podemos destacar o Minas Padrão Light, Fontina, Montanhês, Parmesão e Vaccino Romano.

Dessa forma, sabe-se que o leite e os produtos lácteos são fontes importantes de muitos nutrientes, como proteínas, cálcio e riboflavina, não sendo aconselhável evitá-los sem uma boa razão; neste caso, modificações dietéticas precisam ser feitas para garantir que não surjam deficiências nutricionais. Por exemplo, se fontes alternativas de cálcio não forem consumidas, a ingestão pode ser tão baixa que irá comprometer a saúde óssea.


Referências:
• Mattar R et al. Intolerância à lactose: mudança de paradigmas com a biologia molecular. Rev Assoc Med Bras 2010.
• Intolerância à lactose. Revista Aditivo e Ingredientes.
• Tulla H. Lactose Intolerance. Journal of the American College of Nutrition, Vol. 19, No. 2, 165S–175S (2000).
• International Foundation for Functional Gastrointestinal Disorders – www.iffgd.org.
• Gremse DA, Greer AS, Vacik J, DiPalma JA. - Abdominal pain associated with lactose ingestion in children with lactose intolerance. Clin Pediatr, 2003.
• Intolerância à lactose em www.semlactose.com.br

Nutricionista Renata Boscaini David
IPGS – Instituto de Pesquisas, Ensino e Gestão em Saúde